sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Santa Maria não terá desfile no 20 de setembro

NOTA OFICIAL DA 13ª RT REFERENTE À NÃO PARTICIPAÇÃO DOS CTG’s DE SANTA MARIA NO DESFILE FARROUPILHA 2014.

Em primeiro lugar a 13ª Região Tradicionalista faz parte da Comissão Executiva da Semana da Pátria e Semana Farroupilha de Santa Maria e continuará fazendo.
Esta nota baseia-se em fatos ocorridos desde a tragédia que enlutou nossa cidade e todo o Brasil e as decisões tomadas pelos Patrões das entidades tradicionalistas de Santa Maria, em encontro municipal realizado na noite de 02 de agosto de 2014, às 19h30min, na sede da Coordenadoria Regional.

Segue abaixo os fatos que foram fundamentais para esta decisão:

A 13ª Região Tradicionalista, com sede em Santa Maria, abrange 17 municípios da região centro do Estado e conta, atualmente, com 88 entidades filiadas ao Movimento Tradicionalista Gaúcho. Dessas, 42 em Santa Maria.
Temos mais de 13.000 cartões tradicionalista, e mais de 40 mil integrantes em nossas entidades. Primamos pela moral, os bons costumes e pela família, nosso bem maior.
No dia 27 de janeiro de 2013, assim que fomos informados da tragédia que abalou nossa cidade, de imediato colocamos todas as entidades tradicionalistas a disposição dos órgãos públicos. Fomos até o Centro Desportivo Municipal, onde traçamos uma estratégia para apoiar as famílias e amigos das vitimas.
Contamos com o apoio de todos os CTGs, onde muitos foram utilizadas como alojamento e até mesmo para velórios. Com isso cumprimos o que prescreve a nossa carta de princípios no seu Artigo 1º - Auxiliar o Estado na solução dos seus problemas fundamentais e na conquista do bem coletivo.
Trabalhamos silenciosos, este é o nosso modelo, corpo a corpo dando alento às pessoas enlutadas, vimos e ouvimos os lamentos da sociedade.
Alguns dias, após a tragédia, convocamos um Encontro Regional, onde dentre os assuntos discutimos a situação de nossas entidades, pois sempre cumprimos as leis e somos a favor das coisas certas. Até aquele momento estávamos certos ou achávamos que estava, e daí veio à surpresa.

Tudo o que, para nós estava certo, passou a estar errado!

Vendo a preocupação de nossas entidades, buscamos aos poderes constituídos, formas para que a tradição e a cultura gaúcha não tivesse interrupção em sua caminha histórica. Nunca burlamos e não queremos burlar as leis.

Portanto devemos esclarecer alguns pontos que achamos importantes.
1 – Somos do Movimento Tradicionalista Gaúcho, cultuamos nossas tradições, de pais para filhos no decorrer dos tempos.
2 – Nossas entidades são civis sem fins lucrativos e todos seus integrantes ou dirigentes não recebem salário para desenvolver a cultura e a tradição mais linda do planeta, fazem por acreditar e por amor ao Rio Grande.
3 – Hora, se cultuamos as tradições é evidente que as nossas entidades tem estrutura diferente e com isso não podem ser tratadas da mesma forma que as outras, são galpões rústicos, mas acolhedores e com toda a segurança, e é isso que temos que considerar.
a) As nossas entidades não tem proprietários.
b) Sempre privamos pelo meio ambiente, plantamos, cuidamos e defendemos.
c) Salientamos, não somos empresas, portanto não temos fins lucrativos, somos tradicionalistas e prestamos serviços voluntários em prol de uma tradição.
e) Em nossos eventos não visamos lucros e sim cultuar as tradições, muitas e muitas vezes da prejuízo, prejuízo financeiro porque ganhamos sempre em cultuar nossas origens.
e) Se nossas entidades fecharem as portas não terão recursos para abri-las novamente e hoje temos três entidades interditadas, o CTG Estância do Jarau, o CTG Tropeiro Velho e Ponche Verde CTG, e com certeza teremos mais, pois muitas seus terenos foram doados a mais de 10, 20, 30 ou 50 anos e não era solicitado documentos de propriedade antes do ocorrido e é por isso que estavam com seus alvarás em dia no mês de janeiro de 2013. Agora, terão que se adequarem.
Com esses motivos, comunicamos que nossas entidades devem ser tratadas com isonomia as instituições similares que contribuem em prol da sociedade. Nunca fomos e nunca seremos, boates, danceterias, casas de show, dentre outras.

Após esta explanação vamos aos fatos que levaram a decisão a seguir:

1 – Como foi citado, em fevereiro de 2013 nossas entidades começaram um trabalho de adequação as normas vigentes, pois a partir da tragédia passamos a estar fora das leis, portanto como já dito somos sem fins lucrativos e vivemos de patrocínios ou doações.
2 – Sendo assim todas as entidades procuraram os órgãos detentores destas prerrogativas para se adequarem, mas se depararam com um grande fardo de taxas a serem recolhidas e um grande numero de novos equipamentos que não eram solicitados antes da tragédia, como por exemplo, hidrantes, para-raios, etc.
3 – O Coordenador Regional procurou o Corpo de Bombeiros e o Ministério Público de Santa Maria, onde assumiu em conjunto, normas para que não cessassem nossas entidades de desenvolverem suas atividades e com segurança. Este acordo teria validade para a semana farroupilha de 2013, e dependendo da situação seria tratado caso a caso.
4 – Em razão das entidades serem sem fins lucrativos, as mesmas não possuem planejamento e estrutura para angariar em um curto ou médio espaço de tempo, fundos consideráveis, compatíveis com os custos para adequações estruturais.
5 – Realizamos a semana farroupilha de 2013 para arrecadar alguma quantia em espécie para realizarmos as obras previstas, conforme acordo e não houve nenhum incidente em nossas entidades.
6 – Salientamos que todas as nossa entidades estão imbuídas nesta adequação, mas as vezes o preço é bem elevado e dificulta a realização das mesmas.
7 – Para culminar ou fechar com chave de ouro a semana farroupilha todos são sabedores que realizamos a muitos anos o tradicional desfile tradicionalista, na Av. Medianeira.
8 – Para nossa surpresa alguns dias após o desfile veio ao nosso conhecimento que todos os carros que passarem pela Av. Presidente Vargas durante a concentração ou dispersão foram multados na esquina da rua Duque de Caxias com a Av. Presidente Vargas, por agente de trânsito do município de Santa Maria.
9 – Procuramos o senhor prefeito Cesar Schirmer, que imediatamente determinou ao Secretario de Mobilidade Urbana, Miguel Passini, que nos recebesse em seu gabinete e instruísse como proceder para reverter esta situação e assim o fizemos.
Montamos todos os recursos e não obtivemos exito em nosso proposito, sendo assim as entidades tiveram que arcar com o valor das multas, agravando ainda mais a situação financeira das entidades, alias as multas em si não é o maior problema, pois todos sabemos que nosso desfile temático envolvem veículos, sendo estes emprestados por particulares ou empresas amigas das entidades. Com as multas, deixaram de emprestar os caminhões e camionetes, pois muitas estão com pontos nas carteiras por conta destas multas e com isso tem prejuízo considerável.
Saliento que, diferentemente do carnaval que recebe verbas significativas, afora a estrutura de arquibancadas, som e palanque oficial, nunca tivemos qualquer ajuda de custo por parte da prefeitura para custear o desfile temático em Santa Maria.

Baseado-se nessas situações, onde as entidades ficaram sem seus importantes colaboradores que disponibilizavam os veículos (caminhões/camionetes) para o desfile, e com isso viriam somente com cavalos para a avenida, deixando o restante de seu quadro social na entidade, causando com isso constrangimento aos que lá ficariam, pois as entidades são todo um conjunto, campeiro, artístico, cultural, esportes etc...ficou acordado em apoio a todos os integrantes das entidades que ESTE ANO NÃO TERÁ O DESFILE TRADICIONALISTA EM SANTA MARIA.

Salientamos que somente o desfile foi cancelado. Os demais eventos dos festejos farroupilhas tais como: abertura oficial com distribuição da chama crioula, ronda da chama crioula, eventos nas entidades, etc...estão mantidos.
         
Ildo Wagner
Coordenador da 13ª Região Tradicionalista

“Juntos somos fortes”

Nota de falecimento

          É com grande pesar que comunicamos o falecimento do amigo Luiz Carlos Durante, de Santa Cruz do Sul, tradicionalista abnegado, dedicado e um amante do ENART, pelo qual trabalhou muitos anos. O velório será CEMITERIO ECUMENICO DA PAZ ETERNA - Av Deputado Euclydes Nicolau Kliemann, 2501 -B. Vila Nova/Santa Cruz, a partir das 13:30hrs.

          Em seu facebook oficial, o Coordenador da 5ªRT, Luiz Clóvis Vieira, deixou uma mensagem:

          "Caros tradicionalistas da família 5ªRT, hoje com muita tristeza no coração venho aqui informar a perda de um grande amigo, conselheiro e muitas vezes fez papel de pai nas minhas horas difíceis.
          Homem que nunca mediu esforços para cumprir com sua função na RT, este homem muitas noites passou em claro para que todas as entidades estivessem com seus cartões em mãos na hora de suas apresentações ou nos rodeios . Falo do meu amigo Sr LUIZ CARLOS DURANTE, to sem ação nem palavras , ele faleceu na madrugada de hoje, não sei o que dizer nem como confortar sua família, TIA LISETE saiba que ele esta fazendo muita falta a este amigo, seu sorriso suas piadas e seus conselhos. Ele não podia ter feito isso comigo ir em bora sem falar comigo, Que Deus de a ele o melhor lugar e a mais forte luz para que nos ilumine aqui na terra pois ele agora é um anjo e estará sempre ao o nosso lado. DURANTE ONDE ESTIVER VC NUNCA SERA ESQUECIDO. QUE DEUS TE GUARDE BEM AO SEU LADO NO SEU RANCHO".

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Frente a Frente, na TVE, recebe Manoelito Savaris

         O Frente a Frente inicia sua nova temporada recebendo Manoelito Savaris, presidente de uma das entidades mais expressivas e simbólicas do Rio Grande do Sul, o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). O programa, que vai ao ar nesta quinta-feira, 28/8, às 22h, também estreia a sua nova apresentadora: Maria Helena Ruduit.

        Criado em 1966, o MTG dedica-se à preservação, ao resgate e ao desenvolvimento da cultura gaúcha. Na entrevista, Manoelito fala sobre os projetos e desafios da entidade. Manoelito é ex-seminarista, oficial aposentado da Brigada Militar, graduado em história e autor de oito obras literárias, duas com temática tradicionalista. 

           Participam do programa como entrevistadores convidados Rosana Orlandi, diretora do Galpão Crioulo, da RBS TV; Jéssica Mello, repórter do Correio do Povo; e João Vicente Ribas, jornalista e mestre em história com pesquisa sobre a identidade do gaúcho.

Lançado oficialmente o ENART 2014

           Foi na fria noite de 27 de agosto, na Bierhauss, no Parque da Oktoberfest, em Santa Cruz do Sul, que aconteceu o lançamento oficial da 29ª edição do Encontro de Artes e Tradição Gaúcha.
          Formaram a mesa oficial do evento Manoelito Carlos Savaris, presidente do MTG, Cesar Antonio Cequinato, secretário municipal de desenvolvimento econômico, turismo, ciencia e tecnologia, que representou o prefeito de Santa Cruz do Sul, Telmo Kirst. 
           Também, o vereador Gerson Trevisan, que representou o deputado estadual. Jorge Pozzobom e o presidente da camara de vereadores da cidade. Antonio Pereira dos Santos, presidente  do COMLAZER (Conselho Municipal de Desenvolvimento do LAZER), Benjamin Feltrin Neto, conselheiro vaqueano do MTG e patrono dos festejos farroupilhas do RS, o presidente da comissão executiva do 29° ENART, Jorge Rohr, o coordenador da 5°RT, Luis Clóvis Vieira. Flavio Silva, presidente da ATS,  Flavio Haas, presidente da ASSEMP (Associação de entidades empresariais de Sta. Cruz do Sul), e Léo Schuingel, presidente da 30ª Oktoberfest.
           Jorge Rohr, presidente da comissão do ENART, disse que a equipe já está trabalhando para organizar mais uma edição, já que Santa Cruz faz isso há 18 anos, e que esta, a 19ª edição na cidade, mostra a hospitalidade do povo santa-cruzense para receber o Rio Grande tradicionalista.
          O vereador Gerson Trevisan entregou ao presidente do Movimento Tradicionalista Gaucho, Manoelito Carlos Savaris,  uma cópia da lei estadual Nº 14.578, de 22 de julho de 2014, que incluiu o ENART no calendário oficial de eventos do estado do Rio Grande do Sul, proposta pelo Deputado Jorge Pozzobom. A lei lida pela jovem Bruna Fischborn.
         Já a lei municipal, nº 7.066, de 29 de julho de 2014, declarando o ENART como patrimônio cultural e turístico de Santa. Cruz do Sul, proposta por ele, foi lida pelo jovem Pedro Henrique Feltrin.
          O presidente Manoelito agradeceu a dedicação da comissão executiva para que o ENART chegasse onde chegou, e reiterou a permanência do evento na cidade, ainda mais agora que Santa Cruz estabeleceu uma lei que destaca o festival e mostra sua importância para o município. Savaris fez questão de ressaltar que o ENART volta às suas origens e reúne, novamente, ATS e 5ªRT, trabalhando juntas para melhorias do evento, além de ter  o presidente da comissão executiva, oriundo da cidade, e com experiencia, como Jorge Rohr, e, junto dele, o próprio Armando Clóvis Ghewer. 
          Após os pronunciamentos, vários artistas locais mostraram seus talentos enquanto os convidados saboreavam um coquetel típico alemão.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Lançamento do ENART será nesta quarta, 27, em Santa Cruz

          A cidade de Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo, será palco nesta quarta-feira, dia 27 de agosto, do lançamento do Enart - Encontro de Artes e Tradição Gaúcha, edição 2014. A solenidade acontece a partir das 20h no Parque da Oktoberfest, reunindo autoridades Municipais, do Movimento Tradicionalista Gaúcho (realizadores), e também comunidade.
          O ENART tem como objetivos a divulgação da cultura, a valorização da arte regional, a promoção do intercâmbio cultural entre os participantes e o incentivo ao desenvolvimento de novos talentos. O evento, que acontecerá de 14 a 16 de novembro em Santa Cruz do Sul, conta com o financiamento Pró-cultura RS, Secretaria da Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul.
          O festival deverá mobilizar aproximadamente quatro mil participantes nas modalidades de danças tradicionais forças A e B; chula; gaita; violino ou rabeca; violão; viola; conjunto instrumental; conjunto vocal; solista vocal, trova galponeira; declamação; pajada; causo gauchesco de galpão; e danças gaúchas de salão.
          Durante o evento também acontecerá a 15ª Mostra de Arte e Tradição Gaúcha, onde serão apresentados os trabalhos artísticos e de pesquisa produzidos pelas Prendas e Peões Regionais,  representantes das 30 regiões tradicionalistas. O evento está em sua 29ª edição, integra o calendário artístico-cultural do Movimento Tradicionalista Gaúcho e conta com o apoio da Prefeitura de Santa Cruz do Sul. 

Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Atenção entidades filiadas ao MTG - Normativa da Receita federal

Entidades tradicionalistas com novas obrigações junto a Receita Federal

Gilberto Silveira, contador, e Firmo Faria, fazem um alerta as entidades tradicionalistas filiadas ao MTG sobre as novas obrigações que já valem este ano.

Um alerta importante aos tradicionalistas que tem inscrição no CNPJ (Receita Federal). Com a publicação da Instrução Normativa 1.420/2013 pela Receita Federal, ficou instituído a obrigatoriedade da apresentação, em formato digital, da escrituração contábil (ECD) de todos os fatos e atos contábeis e financeiros das entidades, ou seja, o que ora era realizado pelas entidades, com apenas elaboração do livro caixa, sendo que não necessitava ser autenticado, apenas arquivado junto com os documentos comprobatórios dos lançamentos, que inclusive, sabe-se que algumas entidades nem esta obrigação cumprem, com esta medida passará a compor a exigência  os livro diário e razão, balancetes e balanços.

A ECD deverá ser transmitida ao Sistema Publico de Escrituração Digital (SPED), a contabilidade deverá ser autenticada por certificado digital (ICP Brasil), os lançamentos com as movimentações tem que ser registrados mensalmente, a partir de 01/01/2014, porém a transmissão poderá ser feita até último dia útil do mês de junho 2015, referente aos fatos geradores de 2014. Segundo Gilberto Silveira, coordenador da 18ªRT, e contabilista, fica a certeza de uma grande repercussão negativa para as entidades principalmente no que tange a custos, pois será necessário contratar um profissional de contabilidade, gerando um novo custo bastante representativo ao orçamento das entidades.

            “Cabe ressaltar que é muito preocupante esta medida em virtude da falta de conhecimento técnico dos tesoureiros e membros das juntas fiscais, pois normalmente os estatutos não exigem qualificação para provimentos dos cargos, além das práticas contábeis não serem utilizadas normalmente, falta de critério quando da efetivação de despesas principalmente relativo aos documentos fiscais, Notas Fiscais, cupom fiscal, recibos, RPA, boletos e outros, as entidades passarão a ter que apresentar documentos idôneos para fins de registros contábeis” – explica Gilberto.

Outra situação é relativa à contratação de prestadores de serviço, que na realidade, hoje, todo e qualquer prestador de serviço, pessoa física, quando contratado por pessoa jurídica é obrigado a entidade  reter quando do pagamento  a alíquota de 11%  do valor do serviço relativo ao  INSS, e  na hora de recolher este tributo ainda tem que recolher  mais 20%  relativo INSS patronal portanto aumentando substancialmente o valor do serviço.
  
Os administradores de entidades mais estruturadas assimilarão mais rápido esta nova exigência, porém as entidades de menor porte , ou cujo o patrão seja despreparado nesta questão, terão muitas dificuldades, podendo a vir a gerar um passivo para a instituição em virtude de multas e infrações fiscais. Cabe ressaltar que as multas pelo não cumprimento desta legislação varia entre R$ 500,00 e R$ 1.500,00 por mês calendário, há de se atentar a Lei de responsabilidade fiscal” – define Silveira, que completa: “Inevitavelmente deverá ser consultado e contratado um contador que será o responsável técnico pela escrituração contábil digital e toda assessoria tributária da entidade”.