quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Editorial do Presidente - Duas questões na mesa

No Andes cambiando de cueva.
Hacé las que hace el ratón:
conserváte em el rincónem
que empesó tu esistencia:
vaca que cambia querências
e atrasa em la parición.
                       Foi dessa forma que José Hernádez se expressou no épico Martín Fierro, ao tratar de gente que não fixa lugar e que anda pra cá e pra lá achando que na casa dos outros a comida é melhor, sem “vestir uma camisa”.
                    Os CTGs são clubes que congregam pessoas e constroem suas histórias criando um ambiente em que cada associado se sente “dono” e defende a entidade. De alguma forma cada dirigente de CTG procura aprofundar o espírito de “amor à camiseta”, ou seja, o espírito de luta e desprendimento que faz de cada associado um soldado daquela casa.
                    Esse espírito de apego ao CTG é estimulado e internamente elogiado com frequência, não para desmerecer aos outros, mas para fortalecer a si. Com frequência vemos tradicionalistas afirmando: “eu sou .... (o nome do CTG)”. Assim como é comum ouvirmos pessoas se vangloriando e demonstrando orgulho de serem fundadores ou de estar a tantos anos no CTG tal.
                    Temos no nosso meio dois fenômenos que contrastam com tudo isso, ou seja, duas situações específicas que contrariam essa lógica de “vestir a camisa” ou de defender a “sua casa”, uma na área artística e outra na atividade campeira.
                    No meio artístico nos deparamos com os “instrutores de danças” e com os “musicais” que deixaram, na sua grande maioria, de representar uma entidade. Eles não têm mais o espírito de representação de uma bandeira. Defendem, ou melhor, utilizam várias bandeiras. Acredito que todos eles tentem fazer o melhor em cada CTG que trabalham, geralmente mediante remuneração. Não tenho certeza se conseguem manter o mesmo desempenho, mesmo que digam sempre: “sou profissional”. A contradição está tanto nessa questão de trabalhar para vários CTGs, quanto na questão do profissionalismo. Eu imagino como seria se um treinador de futebol treinasse vários times que participam do mesmo campeonato. Ou um atleta que jogasse por vários times. Será que o profissionalismo resolveria essa questão?
                    Na área campeira temos um fenômeno um pouco diferente. Há a troca de entidade e a formação de grupos com o fim específico de ganhar mais provas e acumular mais prêmios em dinheiro, mas aqui me refiro aos laçadores que resolveram “cambiar de cueva”. Me parece que são pessoas que só querem diversão, jogo e ganho de dinheiro. Não há a mínima preocupação com a preservação da tradição ou com o fortalecimento das entidades tradicionalistas que são os esteios da preservação das tradições.
                    As duas situações devem ser analisadas com cuidado. No primeiro, devemos verificar se há alternativas que mudem ou que façam retornar à situação dos anos 90. Sempre com o devido cuidado para não destruir tudo aquilo que há de bom e bonito na atividade artística. No segundo caso, devemos decidir se aceitamos os “cambiadores” que desejam ter morada em duas casas diferentes e que ficam especulando, a cada dia, qual casa oferece melhor prato à mesa.

                    Como arremate dessa reflexão vale lembrar os versos de mesmo José Hernández, ainda em Martín Fierro:

“A naides tengás envidia;
 es muy triste el envidiar;
 cuando veás a outro ganar;
 a estorbarlo no te metas:
 cada lechón em su tetaes
 el modo de mamar”.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Informações sobre o ENART

Prazo de entrega das coreografias (regulamento)  - 28/10/2014

Sorteio: Ao vivo, hoje, da sede do MTG pela Radio 1ªRT e Tv Tradição

Ingresso ENART
Individual: R$ 7,00 (diaria)
Permanente: R$ 20,00 (3 dias)
Moto: R$ 15,00
Carro: R$ 20,00
Ônibus: R$ 40,00
Ingresso Individual Meia entrada:R$ 3,50
Permanente Meia Entrada : R$ 10,00

domingo, 26 de outubro de 2014

Uma festa de gala, com uma organização à nível de quem faz 48 anos de história

Na foto acima, Dorvilio Calderan ao lado de Manoelito Savaris(e) e o  prefeito Getulio Cerioli (c)
            CTG Alexandre Pato, da cidade de Lagoa Vermelha, 8ª região tradicionalista, foi palco na noite de 25 de outubro, das comemorações de 48 anos do Movimento Tradicionalista Gaúcho. 
            Foram homenageadas as entidades com 200 pontos na Lista Destaques Tradicionalistas, de 2013, referencia para 2014, CTG Tríplice  Aliança (Alegrete); CTG Sentinelas do Rio Grande (Rio Grande); CTG Felipe Portinho (Marau); CTG Julio de Castilhos (Julio de Castilhos); CTG Rincão da Roça Reúna (Veranópolis); CTG Estância de Sapucaia (Sapucaia do Sul); CPF Piá do Sul, 
CTG Sentinela da Querencia, e AT Poncho Branco (Santa Maria) e CTG Sentinela da Querencia (Erechim).
Na foto, parte de baixo, Carlos Medeiros de Melo, Gilda Galeazzi e Airto Timm

           Foi servido um jantar com a categoria e, a organização do CTG Alexandre Pato,  toda sua equipe de trabalho, muita classe, elegância e gauchismo. Um galpão muito bem decorado, patronagem e equipe bem pilchados, mostrando muita organização e um atendimento de deixar saudades em quem esteve no evento.
           Após o jantar foi montado o ambiente para as condecorações e homenagens. Além da equipe do MTG, com a vice-presidente de cultura, Elenir Winck, Odila Savaris, José Roberto Fischborn, vice-presidente de eventos,  e Edna Fischborn, a equipe da casa foi rápida na organização do ambiente.
          Foram homenageados das regiões com o Diploma João de Barro, pessoas que se destacaram em suas cidades, ou mesmo, nas regiões  tradicionalistas.
          A Comenda Barbosa Lessa foi dedicada à Iolanda Tatsch Banunas (colunista social), Alceu Barbosa Velho (Prefeito de Caxias do Sul) e Dorvílio José Calderan (Presidente da CITG), que falou em nome dos homenageados.
        Receberam os titulos de Conselheiros Honorários: Adelar Bertussi Siqueira e Telmo de Lima Freitas; Conselheiro Benemérito: Ivo Benfatto








Uma equipe organizada que deixou saudades em quem se fez presente em Lagoa Vermelha, nos 48 anos do MTG

OrCav outorga cavaleiros na festa de 48 anos do Movimento Tradicionalista Gaúcho

As condecorações da Ordem dos Cavaleiros do Rio Grande do Sul
           Em uma tarde bastante quente, 25 de outubro, data escolhida para festejar os 48 anos do Movimento Tradicionalista Gaúcho, na cidade de Lagoa Vermelha. As atividades começaram as 16h, com a outorga dos cavaleiros que as regiões indicaram para receber. Foram mais de 170 outorgados nas mais diferentes classificações, como: Aspirante à cavaleiro, Cavaleiro Rio-grandense, Cavaleiro Antonio de Souza Netto e Cavaleiro Bento Gonçalves.
            A cerimonia contou com toda a pompa necessária para condecorar um cavaleiro. O toque de clarim conclamou a entrada dos cavaleiros no recinto, pelo 1º Tenente Daisson de Andrade da Silva, do 3º RPMOn, de Passo Fundo.
            Airto Timm, Presidente da OrCav, e Solon Silva, acompanharam os cavaleiros até seus respectivos lugares. Ajos Dutra, um dos mais antigos coordenadores regionais presente ao evento, foi outorgado pela 23ªRT, esteve presente em todas edições da cavalgada do mar, desde sua criação.
            Os peões e guris do estado estiveram presentes ao evento.
            Manoelito Savaris lembrou o histórico da OrCav, que teve a proposta defendida em 1998, no Congresso de Santa Cruz do Sul (no mesmo que foi aprovado o hino tradicionalista), pelo Cel. Celso Souza Soares, seu primeiro presidente.
            Savaris lembrou da responsabilidade dos homens e mulheres que montam a cavalo e saem com objetivos definidos. Agradeceu a todos os que ali estavam sendo outorgados pelo trabalho que realizaram ao longo de suas vidas e pela dedicação ao campeirismo gaúcho.
          Outorgados: 172 cavaleiros, sendo 113 aspirantes, 22 rio-grandenses, 20 Antonio de Souza Netto e 17 Cavaleiros Bento Gonçalves. 13 Regiões foram representadas.
        Acompanhantes dos cavaleiros outorgados lotaram o galpão para assistir a cerimonia.
         Rodrigo Moretto, da 7ªRT foi homenageado pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho por sua atitude durante a 26ª Festa Campeira do estado, que aconteceu em Viamão. Moretto ao disputar braço de ouro, braço de diamante, abriu mão da disputa, permitindo que o concorrente vencesse a modalidade, mesmo sabendo que ele era um fortíssimo oponente. Ao abrir mão da disputa da finalíssima, Moretto demonstrou o verdadeiro espírito que permeia  a FECARS.
         Foi uma belissima festa, onde todos confraternizaram, fizeram muitas fotos registrando o momento para a história.
         O presidente da CITG, Dorvilio Calderan, fez questão de estar presente até o fim da outorga, prestigiando os cavaleiros.


sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Medalha do Merito Tradicionalista Barbosa Lessa

          A "Medalha do Mérito Tradicionalista Barbosa Lessa", maior comenda concedida pelo MTG, foi criada na 56ª Convenção Tradicionalista, realizada em julho de 2002 em Novo Hamburgo, por proposta de Manoelito Carlos Savaris e Ivo Benfatto.

Medalhas Concedidas em 2002
Cyro Dutra Ferreira
João Carlos D'Ávila Paixão Cortes
Wilmar Winck de Souza
Sônia Suzana de Campos Abreu
Lílian Argentina Braga Marques
Olívio Dutra  (Governador do Estado do RS)
Sérgio Zambiasi  (Presidente da Assembleia Legislativa/RS)

Medalhas Concedidas em 2003
Jarbas de Melo Lima
Dionízio Araújo do Nascimento
Onésimo Carneiro Duarte
Hugo Ramírez
Inezita Barroso
A Casa das Sete Mulheres  (Rede Globo)

Medalhas Concedidas em 2004
Antonio Augusto da Silva Fagundes
Dirceu de Jesus Prestes Brizolla
Manoelito Carlos Savaris

Medalhas Concedidas em 2005
Rodi Pedro Borghetti
Zeno Dias Chaves
Manoel Pedro da Silva Mello
Zeno Cardoso Nunes
Rui Cardoso Nunes
Celso Souza Soares

Medalhas Concedidas em 2006
Francisco Pinto Fernandes
Amadeus Gomes Canellas
Telmo de Lima Freitas
José Carlos Cardoso
Darcy Pereira da Paixão

Medalhas Concedidas em 2007       
Odilon Gomes de Oliveira
Benjamim Feltrin Neto
Cyra dos Santos Ferreira

Medalhas Concedidas em 2008
Benoni Jesus dos Santos
Antonio Carlos de Alencastro
Jair Lima
Mario Mattos
Ivo Sanguinetti

Medalhas Concedidas em 2009
Alberto Rosa Rodrigues
Ney Pires Netto

Medalhas Concedidas em 2010
Aldo de Assis Ribeiro
Alencar Feijó da Silva

Medalhas Concedidas em 2011
Armando Ecíquio Peres
Salvador Ferrando Lambert
Vicente Timm

Medalha Concedida em 2012
Oscar Fernande Gress


Medalha Concedida em 2013
Adão Pereira Vaz

Medalhas Concedidas em 2014
Iolanda Tatsch Banunas
Alceu Barbosa Velho
Dorvílio José Calderan

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Entrega do relatório de pesquisa da Mostra poderá ser feito até 01/11

          Atendendo a solicitação de alguns diretores culturais, comunicamos que  o relatório da pesquisa da mostra para o Enart, poderá ser entregue até o dia 01 de novembro, por ocasião da reunião que ocorrerá  no MTG. 
          Quem desejar entregar no dia 25/10, em Lagoa Vermelha, também poderá fazê-lo.
          Lembramos que as inscrições dos participantes deverão ser encaminhadas ao MTG até o dia 25 de outubro.

Um abraço,

Elenir de Fátima Dill Winck
Vice-presidente de cultura MTG
Iara Vanice Rott
Diretora de cultura interna MTG