sábado, 22 de novembro de 2014

Rodeio: Oportunidade de convivencia

Sei que os tempos mudam. Sei que os hábitos e costumes da década de 1990 não são os mesmo de hoje. Sei que o tradicionalismo gaúcho sofreu forte alteração na área artística nos últimos 20 anos. Mesmo assim, me arrisco a propor uma reflexão sobre os rodeios, a forma de realizá-los, as formas e objetivos de participação e, com tudo isso, um breve exame dos objetivos da sua realização.
Em março de 2003 publiquei um editorial, neste mesmo espaço do Eco da Tradição, tratando dos rodeios crioulos e me referindo à área campeira. Naquela oportunidade escrevi sobre os objetivos dos rodeios.
Hoje, passados quase 12 anos, continuo acreditando nas mesmas coisas, ou seja, que o rodeio existe para preservação da cultura gauchesca, oferecer oportunidade de lazer, obter algum lucro para financiar as atividades anuais da entidade promotora e, acrescento: é uma oportunidade de convivência, de ver e rever amigos, de fazer novos amigos, de sair um pouco da corrida diária e ter tempo para uma boa conversa, um mate largo, saborear uma boa declamação ou se emocionar com um grupo de danças. 
A área campeira dos rodeios, nesses quesitos, está melhor do que a área artística. Digo isso porque as pessoas envolvidas com as provas campeiras, notadamente o tiro de laço, acampam no rodeio. Montam suas cozinhas. Tiram o tempo para um bom mate. Conversam com os parceiros e com o vizinhos de acampamento.
A questão mais intrincada está na área artística. Poucos acampam e quase ninguém organiza cozinha. A maioria dos CTGs somente se preocupa com os grupos de danças e, por isso, organizam suas viagens e o tempo que permanecem no rodeio de acordo com a apresentação dos seus grupos. Os concursos individuais estão desaparecendo. Tem sido comum a participação do mesmo CTG, melhor, do mesmo grupo de danças, em dois ou três rodeios no mesmo final de semana. Essa prática impede que a entidade fique num rodeio, impede que conviva com os outros participantes e fortalece unicamente o interesse pelo premio, em dinheiro, que o rodeio oferece.
Para o organizador do rodeio, não há qualquer vantagem com a prática atual de participação em vários rodeios no mesmo final de semana. Os concorrentes não pagam ingresso, não há cobrança de inscrição, os grupos de danças nada consomem no rodeio, mesmo porque ficam ali somente o tempo necessário para apresentar-se e, além disso, há sempre problemas com a programação. Os organizadores “ajeitam” a programação para esperar um grupo de danças que está vindo de outro rodeio.
Será esse o caminho que desejamos para o Movimento? Será que o único e grande objetivo deve ser o de ganhar o premio do rodeio? Não será esta prática uma forma de privilegiar os “grupos grandes” os CTGs mais estruturados?
O que proponho é simples: estabelecer uma regra em que cada grupo de danças somente possa ser premiado com dinheiro em um rodeio por final de semana. Se quiser concorrer em dois rodeios pode, mas somente pode ser premiado no primeiro que participar. Mesmo que vença também o segundo rodeio, não receberá o prêmio. 
Além dessa medida que pode ser adotada por decisão de Congresso Tradicionalista, ainda podemos estimular a que os promotores de rodeios voltem a programar fases classificatórias o que oportunizará aos concorrentes apresentarem-se duas vezes.
Tudo isso para nossa reflexão. No congresso de Uruguaiana vamos debater o tema e adotar alguma medida que favoreça a convivência dos tradicionalistas nos rodeios.
Dezembro de 2014
Manoelito Savaris

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Comunicado

          A diretoria do MTG vem através desta, informar que estão circulando pelas redes sociais informações falsas sobre suposto equivoco no resultado do ENART, são informações mentirosas e de má fé.

          A fonte desta nota já esta sendo apurada, e reforçamos que os resultados são os divulgados oficialmente pelo MTG. 

         Chamamos a atenção de todos que notas ou informações envolvendo eventos do Movimento Tradicionalista Gaúcho somente serão comunicadas pelos veículos oficiais da entidade.

         Atenciosamente

         Diretoria do MTG

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Nota de Falecimento

 Depois de uma linda festa, o ENART, tradicionalismo está de luto

          É com profundo pesar que a 17ªRT e o Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul comunicam o falecimento de um ente querido,  Conselheiro Benemérito do MTG, responsável pelo que é, hoje, o Movimento, Wilmar Winck de Souza, o Provisório.
Wilmar Winck de Souza(D), ao lado de sua esposa, quando comemoraram Bodas de Diamante
          Nascido em Palmeira das Missões em 1926, Provisório é um dos precursores do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). Em sua trajetória, participou da fundação do 35 CTG, o primeiro CTG do estado. Aos 21 anos, veio a Porto Alegre para estudar no Colégio Estadual Júlio de Castilhos, local onde conheceu Paixão Cortes, Barbosa Lessa, Glaucus Saraiva e Cyro Dutra Ferreira, com os quais fundou o 35 CTG, em 1948. Retornou a Palmeira das Missões um ano depois, entrando na carreira política em 1959, quando se tornou vice-prefeito, sendo eleito prefeito do município após quatro anos.

          Em 12 de janeiro de 1950, fundou o Centro de Tradições Gaúchas 35 de Palmeira das Missões (diferenciando-se do 35 CTG de Porto Alegre na nomenclatura), quarto Centro de Tradições Gaúchas do Rio Grande do Sul, permanecendo na presidência da entidade durante seis mandatos consecutivos. Oito anos depois, comandou uma cavalgada de sua cidade natal a Porto Alegre, para presenciar a inauguração do monumento Laçador, inspirado na imagem de seu amigo, Paixão Cortes. 

          Provisório foi patrono dos festejos farroupilhas do RS em 2008, reconhecido e homenageado pelos gaúchos do estado, também na FECARS daquele ano. Foi considerado o primeiro trovador do tradicionalismo organizado, ao entrar para o grupo de jovens que criou o 35CTG. Ajudou a criar e presidiu nas três primeiras edições o Carijo da Canção, de Palmeira das Missões.


          O velório está ocorrendo na Câmera de Vereadores de Palmeira das Missões. O Enterro será no Cemitério Municipal,  o horário ainda está indefinido, mas será pela manhã.

CTG Rancho da Saudade é Penta do ENART. 1ªRT levanta seu 10 Troféu de Campeão

           Oito palcos paralelos, 24 modalidades, mais de 5 mil artistas competindo e mais de 600 apresentações, para um público aproximado de 85 mil pessoas. Este é o saldo do Enart 2014 – Encontro de Artes e Tradições, que aconteceu em Santa Cruz do Sul neste final de semana.
           Depois de três dias de competição, consagrou-se vencedor na categoria de danças tradicionais força "A" (a mais disputada e aguardada), o CTG Rancho da Saudade, de Cachoeirinha. Em segundo lugar ficou CTG Tiarayú, de Porto Alegre; em terceiro DTG Clube Juventude, de Alegrete; em quarto CTG Aldeia dos Anjos, de Gravataí, e em quinto CTG Lalau Miranda, de Passo Fundo... No total, participaram da eliminatória do sábado 40 grupos e da finalíssima do domingo, vinte grupos. 
           A solenidade de entrega dos troféus aconteceu no domingo à noite (veja abaixo a lista dos vencedores em todas as modalidades)
           Segundo o presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Manoelito Savaris, a sensação é de satisfação ao final do 29º Enart. “Implementamos melhorias significativas neste ano, como ampliação do estacionamento, preservação da área central do Parque da Oktoberfest para uso de pedestres, instalação de um telão externo para que o público que não conseguiu entrar no pavilhão pudesse assistir também”, avalia. O presidente também destacou a parceria com a  prefeitura municipal e dos tradicionalistas locais, para o sucesso do evento, fazendo um agradecimento especial aos artistas que se prepararam ao longo de praticamente um ano para a competição.
           O ENART tem por finalidade a preservação, valorização e divulgação das artes, da tradição, dos usos e costumes e da cultura popular do Rio Grande do Sul. Seus objetivos são promover o intercâmbio cultural, além de uma retomada de consciência dos valores morais do gaúcho entre os participantes das diversas regiões culturais Rio-grandenses; projetar a cultura popular e tradicional do Rio Grande do Sul em nível regional e estadual, abrindo perspectivas de amplitude além de nossas fronteiras; promover a harmonia, a integração e o respeito evitando-se a projeção da vaidade e o personalismo entre os participantes; valorizar o artista amador do Rio Grande do Sul, evitando atitudes pessoais ou coletivas que deslustrem os princípios de formação moral do povo gaúcho; e  credenciar os vencedores do ENART, nas diversas modalidades (individual ou coletiva), a se apresentarem nos eventos oficiais do MTG e representarem o Estado nos eventos nacionais e internacionais, quando convidados.
            O ENART tem promoção e realização do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Fundação Cultural Gaúcha e Prefeitura Municipal de Santa Cruz do Sul. O patrocínio é da Tim e Schin e o apoio da ATS, 5ª Região Tradicionalista e Erva-mate Gaúcha da Serra. O evento conta também com financiamento Pró-Cultura RS, da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, através da Lei de Incentivo a Cultura - LIC.
 Gaita Piano masculino
1 - Luis Miguel Valin – CTG Sinuelo – Caxias do Sul
2 - Guilherme Rodrigues – CTG Chegando no Rancho – Caxias do Sul
3 - Ronison Elias Borba – DTG Noel Guarany – Santa Maria
Gaita piano feminino
1- Aluisie Picolotto –CTG Galpão da Saudade – Serafina Correa
2 - Ariane Machado Marques – DT Clube Recreativo Juvenil- Passo Fundo
3 - Maria Elisabeth de Moura Nunes – CTG Presilha do Pago – Santana do Livramento
Gaita de botão até 8 baixos masculino
1 – Pablo Schelski – CTG Gildo de Freitas – Porto Alegre
2 – Nicolas M Muller – CTG Ronda Charrua – Farroupilha
3 – Gabriel de Souza Augustin – 35 CTG – Porto Alegre
Gaita de botão até 8 baixos feminino
1 – Amanda Gabriele Rauber – DTG Guardiões do Rio Grande – Encantado
2 - Mariana Messer Schmidt – CTG Unidos pela Tradição Riograndense – Carazinho
Gaita de botão mais de 8 baixos masculino
1 – Tiago Paese de Camargo – CTG Sinuelo – Caxias do Sul
2 – Pablo Schelski – CTG Gildo de Freitas – Porto Alegre
3 – Henrique Isidoro M de Almeida – CTG Coxilha de Ronda - Santiago
Gaita de botão mais de 8 baixos feminino
1 – Joice Andressa de Fraga – CTG Laços da Amizade- Gravataí
2 – Parla Cristiane de Queiros Macedo – CTG Carreteiros do Sul- Pelotas
Gaita de boca masculino
1 – Rodrigo Filipini – CTG Sentinela da Querência – Santa Maria
2 – Alceu Filipini – GN Farroupilha –Erechim
3 – Mário Inácio Becker – CTG Lanceiros de Santa Cruz- Santa Cruz do Sul
Gaita de boca- feminino
1 – Parla Cristiane de Queiroz Macedo – CTG Carreteiros do Sul - Pelotas
Bandoneon masculino
1 - Dirceu Rucart Porsche – CTG Tiarayu – Porto Alegre
2 - Carlos Ulrich- CTG Rincão das Coxilhas – Teutônia
3 - Aldomiro Gomes da Rosa – CTG Sentinela dos Pampas – Candelária

 Violino ou rabeca
1 – Renato Eraclides Pulz- CTG Tropeiros da Amizade – Sapucaia do Sul
2 – Tiago Luidi Guadagnin Rodin – CTG Pousada do Imigrante – Nova Bassano
3 – Gesiel Carvalo da Cruz – CTG Sepé Tiaraju – Santa Rosa

 Violão
1 – Ismael Bolzan – CTG Herdeiros da Tradição – Caxias do Sul
2 – Andre Luiz da Silva Kelbouscas – CTG Rincão da Caroina – Santana do Livramento
3 – Leonardo Soares Antunes – GAN Ivi Maraé – São Leopoldo
Viola
1 – José Pedro Rodrigues da Silva – CTG Herdeiros da Tradição – Porto Alegre
2 – Rafael Cesar Silva – CTG Sentinela Farroupilha – Camaquã
3 – Christian Luiz Albarello – CTG Unidos pela Tradição Riograndense - Carazinho
 Conjunto instrumental
1 – CTG Sentinela das Querências- CTG Sentinela da Querência – Santa Maria
2 – CTG Lalau Miranda – Passo Fundo
3 – Os Tropeiros- CTG Tropeiros da Amizade – Sapucaia do Sul
Conjunto vocal
1 – Acordes e Canções –CTG Tropeiros da Amizade – Sapucaia do Sul
2 – CTG Unidos pela Tradição Riograndense – CTG Unidos pela Tradição Riograndense – Carazinho
3 – Piá do Sul – CPF Piá do Sul – Santa Maria
 Intérprete solista vocal masculino
1 – Francisco Daison de Oliveria Mello Jr – CTG Sentinela da Querência – Santa Maria
2 – Fabiano da Rosa Lengler – CTG Lalau Miranda – Passo Fundo
3 – Henrique Vargas dos Santos – DTG Clube Juventude - Alegrete
 Intérprete solista vocal feminino
1 – Priscila Olave Rodrigues – CTG Carreteiros do Sul – Pelotas
2 – Giovanna Jung Mottini – DTG Lenço Colorado – Porto Alegre
3 – Daniela Correa Silva – CTG Estância de Sapucaia – Sapucaia do Sul
 Trova Mi Maior de Gavetão
1 – Luis Carlos dos Santos Araújo – CTG Moacir da Motta Fortes – Passo Fundo
2 – José Joaquim de Jesus Hugo – CTG Cel. Thomaz Luiz Osório – Pelotas
3 – Antonio Flavio da C. Rodrigues – GCG Guardiões da Tradição
 Trova de Martelo
1 – Jadir Soares de Oliveira – CTG Velha Cambona – Portão
2 – Jorge Luiz Pieniz – CTG Tropeiros do Buricá – Três de Maio
3 – Hidalgo Rodrigues – CTG Herdeiros da Tradição – Caxias do Sul
 Trova Estilo Gildo de Freitas
1 –Aldori Moreira Tito – CTG Oswaldo Aranha – Alegrete
2 – Elci Felix da Rosa – CTG Herdeiros da Tradição – Porto Alegre
3 – Ari de Souza Fonseca – CTG Missioneiro dos Pampas – Três Passos
 Trovador mais popular
Jorge Luiz Pieniz – CTG Tropeiros do Buricá- Três de Maio
Declamação masculina
1 – Jadir da Silva Ferreira – CTG Tiarayu – Porto Alegre
2 – Darcy Pereira da Silva Neto – CTG Sinuelo do Pago – Uruguaiana
3 – Luiz Fabricio Cavalheiro Trindade – CTG Lalau Miranda – Passo Fundo
 Declamação feminina
1 –Yasmin Kristini Barbosa – CTG Mourão da Estância –Estância Velha
2 – Aline Martins Linhares – CTG Farroupilhas – Santa Maria
3 – Letícia Vicensi dos Santos –CTG Rincão Serrano - Carazinho
Pajada
1 –Jadir Soares de Oliveira – CTG Velha Cambona – Portão 
2 – Antônio Flavio da C. Rodrigues – GCC Guardiões da Tradição – Vacaria
3- Hidalgo Rodrigues – CTG Herdeiros da Tradição – Caxias do Sul
 Causo
1 – Claudir Schulz- CTG Paisanos da Tradição – Bento Gonçalves
2 – Jordão Bicudo do Amarante – EN Taquarembó – Tupanciretã
3 – João Batista de Oliveira Gomes – CTG Laço da Amizade - Gravataí
 Dança Gaúcha de Salão
1 – Luiz Fabricio Cavalheiro Trindade e Briane Costa de Trindade – CTG Lalau Miranda – Passo Fundo
2 – Guilherme Sheneider Ulrich e Natália Santos Holkem – AT Poncho Branco – Santa Maria
3 –Diogo Antoni Pavão e Angela Zanin – CTG Sentinelas do Pago - Marau
 Poesia
1 – André Moraes de Brito – CTG Laços da Amizade
2 – João de Deus Vieira Alves – CTG Porteira da Tradição
3 – Guilherme Hexsel Rosa – CTG Rancho da Saudade
Conto
1 – Paulo Roberto da Silva – CTG Raízes do Sul
2 – Everton Luis dos Santos Campos – CCN Sentinela do Rio Grande
3 – Anré Moraes de Britto – CTG Laços da Amizade
 Conjunto Musical de Invernada
1 – CTG Sentinela da Querência – Santa Maria
2 – CTG M- Bororé – Campo Bom
3 – CPF Piá do Sul – Santa Maria
 Melhor entrada
1 –DTG Clube Juventude- Alegrete
2 – União Gaúcha J. Simões Lopes Neto – Pelotas
3 – CTG Campo dos Bugres – Caxias do Sul
 Melhor Saída
1 – DTG Clube Juventude – Alegrete
2 – CTG Ronda Charrua – Farroupilha
3 – CTG Aldeia dos Anjos - Gravataí
Grupo de Danças Mais Popular
CTG Ronda Charrua - Farroupilha
 Melhor Acampamento
CTG Adaga Velha – Rosário do Sul
 14ª Mostra de Arte e Tradição Gaúcha
1 – 13ª Região Tradicionalista
2 – 9ª Região Tradicionalista
3 – 28ª Região Tradicionalista
Destaque do Enart 2014
1 - CTG Sentinela da Querência – Santa Maria
2 - CTG Lalau Miranda – Passo Fundo
3 - CTG Carreteiros do Sul – Pelotas
 Danças Tradicionais Força A
1º Lugar - CTG Rancho da Saudade - Cachoeirinha- 1ªRT
2º Lugar - CTG Tiarayú - Porto Alegre- 1ªRT
3º Lugar - DTG Clube Juventude - Alegrete - 4ªRT 
4º Lugar - CTG Aldeia dos Anjos - Gravataí - 1ªRT
5º Lugar - CTG Lalau Miranda - Passo Fundo - 7ªRT
Danças Tradicionais Força B
1 - CTG Tropeiro Velho - Panambi
2 - CTG Gaspar da Silveira Martins - Ajuricaba
3 - CTG Galpão da Boa Vontade – Palmeira das Missões
4 - GDF Os Farroupilhas – Santo Ângelo
5 - GF Chão Batido - Ijuí

Chula
1 – Leonardo Brizola de Mello – GF Chaleira Preta – Ijuí
2 – José Guilherme Guimarães – CTG Rincão da Amizade – Gravataí
3 – Leonardo Moisés Silvano – CTG Rancho da Saudade - Cachoeirinha 
4 – Jorge Luis W Soares – CTG Clube Farroupilha - Ijuí

sábado, 15 de novembro de 2014

E começa o ENART 2014

           Em 2014 o ENART começou mais cedo. As equipes reunidas desde cedo acertando os ultimos detalhes da avaliação e confraternizando, momentos antes da abertura oficial.
           A oficina de talentos, da cidade de Panambi, tocou os hinos durante a cerimonia de abertura, mas antes disso, ao passar o som, alegrou os presente no ginásio poliesportivo de Santa Cruz tocando clássicos da musica gaúcha como "céu, sol, sul, terra e cor" e "canto alegretense".
           Os coordenadores regionais concentraram na área onde os grupos ficam esperando o momento de adentrarem no ginásio, passando sua energia positiva e aguardando o momento da abertura para entrarem com suas bandeiras, representando suas entidades,

           A abertura oficial do evento durou vinte minutos, tornando-a agradavel. Discursos rápidos e objetivos, presença de diversas autoridades, como o Prefeito de Santa Cruz, Telmo Kirst, o Presidente da Assembleia Legislativa, Gilmar Sossela, o Deputado Jorge Pozzobom, entre secretários municipais e outros.

           O Galpão Crioulo gravou a abertura com o show do campeão do ENART 2013, CTG Ronda Charrua, de Farroupilha, e ainda trouxe atrações como Pedro Ortaça. A entrega do troféu rotativo, por parte do Ronda, foi de forma inusitada, o barco, usado para fazer a coreografia, foi usado para leva-lo até o palco. José Roberto Fischborn, vice-presidente de eventos do MTG, recebeu o troféu.


          Logo em seguida o CTG Tiarayú, o primeiro grupo a se apresentar, entrou no tablado sagrado do ENART, enquanto o DTG Lenço Colorado estava na concentração.

          O evento continua com força total neste sabado, feriado de 15 de novembro, culminando na finalissima, domingo, dia 16. Neste sabado ainda tem a 15ª Mostra Folclorica do ENART.